NOSSA HISTÓRIA

A cidade de São João Batista teve origem numa gleba de terra determinada "Ponta" de propriedade do Major Raimundo Marques Figueiredo, fundador da cidade.

Foram seus primeiros habitantes: Francisco Américo de Araújo, comerciante e senhor de engenho de moer cana-de-açúcar, Caetano Costa, figura de destaque na agricultura; Salustiano José da Serra, primeiro comerciante de "Ponta" em cujo comércio a população da área se abastecia; Joana Ferreira, senhora de grandes propriedades; José Bertolo de Carvalho, propriedade de terras; João Batista de Carvalho, agricultor de grande destaque. Convém ressaltar que em sua casa residia e lecionava a primeira professora normalista, Dona Adalgisa, que teve uma atuação destacada no magistério, preparando o futuro intelectual de São João Batista, como também sua irmã Dona Agripina nomeada pela sede de São Vicente Férrer. Essas duas ilustres professoras foram nomeadas pelo governador Herculano Parga.

Em 1919, a baixada Maranhense foi vítima de uma grande estiagem, que trouxe sérias preocupações à população desta região, sendo São Vicente Férrer, município de onde São João Batista foi desmembrado, o mais atingido pela seca.

Preocupados com os inúmeros prejuízos que a população sofria, com a falta de chuvas, o Major Figueiredo, pessoa de destaque e muito católico, prometeu mandar celebrar numa missa campal em "Ponta", assim que a situação fosse normalizada com a chegada das chuvas. Em abril, quando começaram a cair as primeiras chuvas, a situação se normalizou e a promessa foi cumprida. A missa foi celebrada pelo Monsenhor José Braúlio Nunes, vigário de São Vicente Férrer e amigo do Major.

Dado o sucesso da festa e do ato religioso que atraiu gente de todo o município e de municípios vizinhos, acertaram o Major Figueiredo e o Monsenhor Bráulio a construção de uma capela e o Santo escolhido foi "São João Batista", que mais tarde deu

o nome à cidade. Essa imagem juntamente com a de São Benedito e a Nossa Senhora da Conceição, foram adquirida em São Luís pelo jovem Francisco Ferreira Figueredo.

Gentílico: juanino ou joanino

 

Formação administrativa

Distrito criado com a denominação de Ibipeuara, pela lei estadual nº 269, de 3112-1948, subordinado de São Vicente Ferraz.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o distrito de Ibipeuara figura no município de São Vicente Ferraz.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1955.

Elevado à categoria de município com a denominação de São João Batista, pela lei estadual nº 1608, de 15-12-1958, desmembrado de São Vicente de Ferraz. Sede no atual distrito de São João Batista ex-Ibipeuara. Constituído do distrito sede. Instalado em 1512-1958.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede.

Em divisões territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Alteração toponímica distrital

Ibipeuara para São João Batista alterado, pela lei estadual nº 1608, de 15-12-1958.

 

 

Fonte:IBGE




HINO DA CIDADE


LEI DE CRIAÇÃO

MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO BATISTA

LEI nº 1608 DE 14 DE JUNHO DE 1958.

CRIA o Município de SÃO JOÃO BATISTA.

O Governador do Estado do Maranhão,

Faço saber a todos os seus habitantes que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte Lei:

Art.1º - É criado o Município de São João Batista, constituído pelo atual Distrito de São João Batista, do Município de São Vicente Ferrer, deste desmembrado, de acordo com os limites fixados na presente Lei.

Art.2º - O Município de São João Batista fica subordinado ao termo sede da Comarca de São Vicente Ferrer.

Art.3º - É elevado à categoria de cidade e convertida em sede de Municípios, com a denominação de São João Batista o atual povoado de São João Batista.

Art.4º - O Município é constituído de um só Distrito.

Art.5º - São os seguintes os limites do atual Município:

LIMITES MUNICIPAIS

1 – Com o Município de SÃO VICENTE DE FERRER:

Começa no cruzamento do Igarapé Cajapió, com a linha telegráfica entre São Vicente ferrer e Cajapió, no lugar Bota-Fogo; daí uma reta ao lugar Jussaral; deste uma reta no cruzamento da estrada que vai de São João Batista e Jussaral, seguindo por este até encontrar a linha telegáfica entre Viana e São Vicente Ferrer, daí seguindo pela estrada da citada telegráfica até o lugar Olho D’Água.

2 – Com o Município de CAJAPIÓ:

Começa no cruzamento do Igarapé Cajapió, com a linha telegráfica entre São Vicente Ferrer e Cajapió, até a foz da margem ocidental do braço oeste da baía de São Marcos; segue pelo meio deste braço da baía pelo braço ocidental do rio Mearim, separando assim o continente do arquipélago da ilha dos carangueijos, até o ponto de bifurcação do braço ocidental e do oriental do rio Mearim.

3 - Com o Município de ANAJATUBA:

Começa no ponto em que se bifurcam os braços oriental e ocidental este a oeste da ilha dos Carangueijos do rio Mearim; continua pelo talvegue deste rio à montante até defrontar a foz do Igarapé Pirapendiba à sua margem esquerda.

4 – Com o Município de VIANA:

Começa no rio Mearim defronte do Igarapé Pirapendiba à margem desse rio; segue pelo Igarapé Pirapendiba a montante até a foz do Igarapé das Palmeiras, daí segue até a fazenda Moitas que pertencerá a Viana e daí segue o Igarapé das Canôas até o lugar Frei Antônio nos limites Comuns de Matinha, São Vicente de Ferrer e Viana.

5 – Com o Município de MATINHA:

Começa no lugar Olho D’água, desse lugar, ainda em alinhamento reto ao lugar Estrela, desse lugar prossegue em alinhamento reto ao marco da pedra do bebedouro, desse marco de pedra ainda em linha reta ao teso do Quiabo, desse teso prossegue em linha reta e nascente do Igarapé Canôas, tributário do Igarapé Pirapendiba, afluente da margem esquerda do rio Mearim.

DIVISAS INTERDISTRITAIS

O Município é constituído de um só distrito.

Art. 6º - Revogam-se as disposições em contrário.

Mando, portanto, a todas as autoridades a quem o conhecimento e execução da presente lei pertencerem, que a cumpram e façam cumprir tão inteiramente como nela se contém. O Secretário do Estado dos Negócios do Interior, Justiça e Segurança, a faça publicar, imprimir e correr.

Palácio do Governo do Estado do Maranhão, em São Luís, em 14 de Junho de 1958, 137º da Independência e... da República.

José de Matos Carvalho
José Ramalho Burnett da Silva

 

 

MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO BATISTA

LEI nº 1608 DE 14 DE JUNHO DE 1958.
CRIA o Município de SÃO JOÃO BATISTA.

 

O Governador do Estado do Maranhão
Faço saber a todos os seus habitantes que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte Lei:

Art.1º - É criado o Município de São João Batista, constituído pelo atual Distrito de São João Batista, do Município de São Vicente Ferrer, dêste desmembrado, de acôrdo com os limites fixados na presente Lei.

Art.2º - O Município de São João Batista fica subordinado ao têrmo séde da Comarca de São Vicente Ferrer.

Art.3º - É elevado à categoria de cidade e convertida em séde de Municípios, com a denominação de São João Batista o atual povoado de São João Batista.

Art.4º - O Município é constituído de um só Distrito.

Art.5º - São os seguintes os limites do atual Município:

LIMITES MUNICIPAIS

1 – Com o Município de SÃO VICENTE FERRER:

Começa no cruzamento do Igarapé Cajapió, com a linha telegráfica entre São Vicente e Cajapió, no lugar Bota-Fogo; daí uma reta ao lugar Jussaral; dêste uma reta ao cruzamento da estrada que vai de São João Batista e Jussaral, seguindo por este até encontrar a linha telegáfica entre Viana e São Vicente Ferrer; daí seguindo pela estrada da citada telegráfica até o lugar Olho D’Água.

2 – Com o Município de CAJAPIÓ:

Começa no cruzamento do Igarapé Cajapió, com a linha telegráfica entre São Vicente Ferrer e Cajapió, até a foz da margem Ocidental do braço oeste da baía de São Marcos; segue pelo meio dêste braço da baía pelo braço Ocidental do Rio Mearim, separando assim o continente do arquipélago da Ilha dos Carangueijos, até o ponto de bifurcação do braço Ocidental e do Oriental do Rio Mearim.

3 - Com o Município de ANAJATUBA:

Começa no ponto em que se bifurcam os braços Oriental e Ocidental êste a Oeste da Ilha dos Carangueijos do Rio Mearim; continua pelo talvegue dêste rio à montante até defrontar a foz do Igarapé Pirapendiba à sua margem esquerda.

4 – Com o Município de VIANA:

Começa no Rio Mearim defronte do Igarapé Pirapendiba à margem dêsse rio; segue pelo Igarapé Pirapendiba a montante até a foz do Igarapé das Palmeiras, daí segue até a fazenda Moitas que pertencerá a Viana e daí segue o Igarapé das Canôas até o lugar Frei Antônio nos limites Comuns de Matinha, São Vicente Ferrer e Viana.

5 – Com o Município de MATINHA:

Começa no lugar Olho D’Água, dêsse lugar, ainda em alinhamento reto ao lugar Estrela, dêsse lugar prossegue em alinhamento reto ao marco da pedra do Bebedouro, desse marco de pedra ainda em linha reta ao teso do Quiabo, dêsse teso prossegue em linha reta e nascente do Igarapé Canôas, tributário do Igarapé Pirapendiba, afluente da margem esquerda do rio Mearim.

DIVISAS INTERDISTRITAIS

O Município é constituído de um só distrito.

Art. 6º - Revogam-se as disposições em contrário.

Mando, portanto, a todas as autoridades a quem o conhecimento e execução da presente lei pertencerem, que a cumpram e façam cumprir tão inteiramente como nela se contém. O Secretário do Interior, Justiça e Segurança a faça publicar, imprimir e correr.

Palácio do Governo do Estado do Maranhão, em São Luís, 14 de Junho de 1958, 137º da Independência e... da República.

José de Matos Carvalho
José Ramalho Burnett da Silva
 

Este texto não substitui o original publicado em imprensa oficial.



LEI DE CRIAÇÃO
LEI DE CRIAÇÃO - 2

Receba nossa Newsletter. Deixe seu nome e e-mail!